Trust, Trade e Traquinagem

20.05.2017

 

OPERAÇÃO PECULIO: 

Na mais expressiva demonstração de malandra molecagem, a agência TRADE denunciada na operação Pecúlio como mecanismo de distribuição de propinas em contratos irregulares de publicidade na prefeitura de Foz do Iguaçu, enquanto não condenada definitivamente vem demonstrando um apetite de novos contratos em dezenas de prefeituras do Paraná.

O interessante é observar o “modo operandi” da agência nada ortodoxo e que muda de acordo com o interesse do momento.

 

Ela que antigamente (quando ainda não corrompida pelo lado negro da força) indicava interesse em editais que pediam filiação em entidade de classe com a finalidade de atestados de “capacitação técnica”no caso, o SINAPRO - Sindicato das Agências de Propaganda do Estado do Paraná, isso quando filiada a mesma entidade. Hoje, não mede esforços jurídicos para impugnar processos onde o edital solicite tal garantia

 

COM “TRADE” SEM CRISE?

Apesar da crise que despontou no País, com queda na arrecadação municipal e frustração de receita em praticamente todos os órgãos governamentais dos municípios do Brasil, com cortes de gastos; as provas do inquérito da operação Pecúlio demonstram que a Prefeitura de Foz do Iguaçu “NÃO CONHECEU CRISE NA DISTRIBUIÇÃO DE SUAS VERBAS PUBLICITÁRIAS”, só no primeiro contrato com a empresa TRADE marketing no período totalizaram o valor de quase DEZ MILHÕES.

 

PERSONA NON GRATA EM FOZ

Os envolvimentos nos atos de corrupção da Operação Pecúlio ficaram tão evidentes nos autos que a própria prefeitura de Foz do Iguaçu, fez questão de imediatamente discutir os contratos com a agência, publicando inclusive em seu site a decisão de “persona non grata” ou não bem vinda a participar da administração da cidade.

 

LUCIANO ALVES

Outro trecho do processo da Operação Pecúlio, mostra a relação corrupta de distribuição de recursos por parte da agência Trade no superfaturamento e pagamento ilegal de recursos da pasta de comunicação. Segundo levantamentos, a TRADE se utilizaria no esquema a empresa VISION ART PRODUÇÕES, de propriedade de um certo “Mauro” para os pagamentos.

 

Entre estes, apareceu a mulher de LUCIANO ALVES (apresentador do Tribuna da Massa da TV Naipi), que ocupava cargo em comissão da prefeitura exatamente no departamento de comunicação. O superfaturamento servia além de pagar alguns “servidores” não nomeados, bem como completar o salário de outros, como acontecia com ALVES.

 

EM FALAR EM ALVES...

Rapaz será uma fixação com o sobrenome? Porque a TRADE também foi agência em Cornélio Procópio na administração do ex-prefeito FRED ALVES, que não terminou o mandato, tendo sido cassado do cargo por processo de irregularidade na compra das famosas “CAIXAS DE ISOPOR”. Vale lembrar que o processo da operação PECÚLIO no período fez menção de Cornélio Procópio.

Ex assessores do ex-prefeito Fred, cada vez que escutam ou leem algo desta operação ficam de cabelo em pé e com as barbas de molho, vai que neste CAMPO ALGUEM FACA UM MARCO QUALQUER E APONTEM A ROTA de onde por aqui correu a operação da Trade. Seria um Show! E neste quesito abraço pro “vermeio”, de todos hoje o mais rico.

 

ALVES, ALVES, ALVES?

Por falar de tanto Alves, por onde será que anda o ex-chefe de gabinete da prefeitura de Cornélio Procópio, Jones Alves. Digo, só por curiosidades...

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Publicando o impublicável desde 2011

  • Facebook Black Round
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now