Ratinho Junior encaminha em agosto segunda etapa da reforma administrativa

O chefe da Casa Civil, Guto Silva, reuniu equipes das secretarias da Fazenda, Agricultura e da Procuradoria Geral do Estado para finalizar a segunda etapa da reforma administrativa do governo Ratinho Junior, que será encaminhada à Assembleia Legislativa na primeira quinzena de agosto. Nesta etapa, que será subdividida em pelo menos três projetos de lei, o foco será a junção e reestruturação das autarquias. As informações são do Diário dos Campos. 

Na reunião, os técnicos se debruçaram sobre a economia aos cofres públicos e a modernização da gestão que será proporcionada pela segunda onda da reforma. Na primeira fase, quando reduziu o número de secretarias de 28 para 15 e eliminou 339 cargos, o governo anunciou uma economia de R$ 10,6 milhões anuais.

 

Mas este não é o único resultado esperado. “O objetivo do governo com a reforma administrativa não é apenas economizar, mas enxugar as estruturas, diminuir a burocracia e aumentar a agilidade e a eficiência dos serviços prestados pelo governo”, afirma Guto Silva.

 

Desta vez, a proposta prevê a junção de autarquias, com estimativa de redução de R$ 10 milhões por ano nas despesas do Executivo. O anúncio foi feito pelo governador em reunião do secretariado no Palácio Iguaçu.

 

A primeira etapa da reestruturação, aprovada pela Assembleia no mês passado, diminuiu o número de secretarias de 28 para 15 e eliminou 339 cargos.

 

Segundo o Executivo, a economia seria de R$ 10,6 milhões anuais. “É uma ação que tem resultado financeiro, com economia aos cofres públicos, e que aumenta a eficiência da gestão”, afirmou Ratinho Jr.

 

“Nosso foco nunca foi apenas economizar, mas aumentar a agilidade e a eficiência do governo”, explicou ele.

 

O governador pediu à equipe celeridade na execução de ações das secretarias e demais órgãos estaduais. Ele ressaltou que as próximas reuniões de secretariado serão dedicadas à prestação de contas e apresentação de planos de trabalho de todas as áreas de governo. “Houve tempo para todos se assentarem. Agora precisamos fazer balanços e estabelecer metas”, ressaltou.

 

A segunda fase da reforma vai começar pela Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, além de envolver o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional (Fundepar) e a Paraná Projetos.

 

Segundo o secretário, revelou que quando a reforma administrativa estiver completa, com a implementação ainda de um terceiro ciclo, o Estado vai poupar R$ 160 milhões ao longo dos quatro anos da gestão, apenas com o corte no custeio. “É uma economia bem considerável, o que nos permitirá realizar investimentos e aumentar a qualidade de vida dos paranaenses”, avalia.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Publicando o impublicável desde 2011

  • Facebook Black Round
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now