COLETA DE SANGUE: Unidade da Hemepar em Cornélio Procópio batendo recordes

07.08.2019

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (HEMEPAR), na unidade de Cornélio Procópio, tem tido motivos pontuais para comemorar, apresentando números positivos em todas suas campanhas de doação de sangue, recentemente fechou o chamado “julho vermelho” batendo recorde de participações.

A 18ª Regional de Saúde teve nomeada sua nova chefia com critérios que estiveram sobre a mesa do Secretário de Saúde Beto Preto e do próprio governador Carlos Massa Ratinho Junior, na escolha de cada nome indicado, adequados a proposta de um governo inovador, que respeita a experiência e acredita na capacidade do servidor mais experiente aliado ao jovem profissional bem antenado e preparado para as demandas de saúde, incentivando e valorizando também a conexidade e o trabalho em equipe, sempre com visão regional.  

 

Já se tornou comum ver nomeações estratégicas nesta gestão priorizar servidores efetivos de carreira, valorizando a classe e economizando recursos e dinamizando os resultados. 

 

Neste raciocínio, o governo resolveu abraçar a indicação da jovem enfermeira Tamires Diogo Ito, profissional amplamente envolvida com os programas da Unidade de Coleta e Transfusão do hemocentro em todas suas diretrizes, vem completar a formação da equipe regional da RS, com sua chefia que fortaleceu em muito as ações de equipe ao mesmo tempo que valorizou a experiência e a dedicação, predicados da profissional, renovando as esperanças de quem precisa de sangue em uma rede tão  extensa que salva vidas todos os dias. Sem dúvida uma grande escolha e indicação.

 

O Hemepar atende uma média de 743 pacientes ao dia em todo o Paraná em 22 unidades hemocentros. São pacientes que estão em tratamento planejado de doenças crônicas ou que precisam do sangue para intervenções pontuais, como cirurgias urgentes. O sangue também é vital para tratar feridos em emergências, trazer a enfermeira Tamires Diogo Ito a Chefia da Unidade, só reforçou esta estratégia inovadora de gestão proposta e aplicada por Ratinho Junior de humanização do atendimento e regionalização das ações do governo dando um rosto amigo no atendimento ao usuário.

 

O Profissional de Enfermagem

 

Além do doador  e obviamente, do receptor, existe outra figura que tem papel fundamental na doação de sangue: o profissional de saúde de enfermagem, enfermeiro, enfermeira (e aqui vemos a sensibilidade do governo).

 

Embora a Unidade de Coleta tenha uma equipe completa e bem treinada, e talvez exatamente por isso, ao lançar a chefia uma enfermeira de carreira, deixa claro a busca e o foco de acolher bem, informar, colher as informações, triar e até fazer a transfusão do sangue no paciente em questão, quando necessário. 

 

Quando o assunto é segurança do paciente na doação e transfusão de sangue, existe um fator determinante e que diminui muito os riscos de eventos adversos que é a comunicação e as orientações de uma profissional qualificada e inteirada dos processos em questão.

 

Nesta relação mais humana, o doador precisa estar disposto a dar a maior quantidade de informações detalhadas para que todo o trabalho não seja perdido no meio do processo. Na foto a enfermeira Tamires Diogo Ito, fazendo a coleta no colega Marcio Montanha Amaral, Chefe da Divisão de Saúde e Comunicação Social, equipe afinada até na hora da agulha). 

 

“O profissional de saúde envolvido no processo do sangue, precisa estar sempre atento. Além da informação que conseguimos obter na entrevista com o doador, precisamos estar atentos aos sinais que o doador nos dá. Às vezes, a pessoa não prestou muita atenção na hora de responder o questionário, ou estava ansioso. Nesses casos, o profissional de saúde envolvido pode perceber e reforçar algumas informações que o doador se lembra na hora. Isso pode fazer toda a diferença”, afirmou a nova chefe do Hemocentro da 18ª Regional de Saúde.

 

Campanha nacional - Doação no inverno

 

PROCESSO - Cada bolsa coletada passa por processamentos que separam os componentes do sangue: hemácias, plasma, plaquetas e crioprecipitado (fonte concentrada de proteínas plasmáticas insolúveis à baixa temperatura). “Os pedidos de bolsas de sangue chegam ao Centro de Hematologia via hospitais contratualizados.

 

A Hemorrede tem equipe treinada para avaliação da demanda, separação do sangue, liberação e transporte. Este processo é muito importante, pois devemos manter a qualidade do hemocomponente para o paciente”, explica a diretora.

 

HOSPITAIS - O Hemepar é responsável por 93% do estoque da rede pública de sangue, abastecendo 375 hospitais no Paraná. Do total de doadores, 45% são do sexo masculino e 38% do feminino. O maior percentual está na faixa etária acima de 29 anos. Os hospitais cumprem protocolos para essas demandas, pois os componentes têm prazo de validade diferentes, de acordo com a solução preservadora utilizada. As plaquetas, por exemplo, têm validade de 5 dias, já as hemácias podem ter validade de até 42 dias.

 

Policiais militares do 18º BPM realizam doação

 

Além de caravanas de todas cidades da região, dos coletivos de algumas empresas e outros cidadões,  soldados do 18º Batalhão de Polícia Militar realizaram a doação de sangue junto a Unidade de Transfusão e Coleta da 18ª Regional de Saúde de Cornélio Procópio.

 

A prática já é tradicional e a ideia da doação coletiva surgiu não apenas como incentivo a esse ato de solidariedade, pois boa parte dos militares já são ou foram doadores em algum momento de suas vidas. Mas, sobretudo, a criação de um momento em que juntos pudessem reforçar o quanto a Doação de Sangue é importante na vida de qualquer pessoa.

 

Hoje tanto os soldados da policia militar, como bombeiros e policiais civis estão engajados. Parabéns aos policiais voluntários, aos que gostariam de doar, mas que por suas peculiaridades não puderam e também a todos os profissionais da saúde que todos os dias esperam ansiosamente por doadores. 

 

Doe Sangue você também!

 

Os interessados em doar sangue devem comparecer ao HEMEPAR, que fica ao lado da unidade do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Norte Paraná (CISNOP), em Cornélio Procópio, na Rua Justino Marquês Bonfim, 17, no Bairro Victor Dantas. A chefe da Unidade de Coleta local é a enfermeira Tamires Diogo Ito.

 

O doador tem que estar munido de documento pessoal. É preciso estar bem alimentado e evitar tanto a ingestão de comida gordurosa nas quatro horas que antecedam a doação, quanto o consumo de bebidas alcoólicas 12 horas antes da coleta.

 

Na ocasião, é realizado um teste rápido de anemia, além da verificação dos sinais vitais e do peso. Na sequência, ocorre uma triagem clínica por meio de entrevista confidencial sobre o estado de saúde, para evitar riscos ao doador e ao receptor.

 

As doações podem ser feitas por qualquer pessoa saudável, com idade entre 16 e 69 anos, peso acima de 50 quilos, com qualquer fator sanguíneo. O tipo "O negativo" é o menos ofertado e também o mais utilizado, por ser universal. No momento da coleta, pessoas que forem identificadas com anemia, hiper ou hipotensão, febre, aumento ou diminuição dos batimentos cardíacos não poderão completar a doação. Conheça outras recomendações do Ministério da Saúde para a doação de sangue:

 

Condições que impedem a doação                         

  • Resfriado: aguardar 7 dias desde o desaparecimento dos sintomas.

  • Gravidez: aguardar 90 dias para parto normal e 180 dias para cesariana.

  • Amamentação: até 12 meses após o parto.

  • Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação.

  • Tatuagem ou piercing realizado nos últimos 12 meses.

  • Procedimento endoscópico (endoscopia, colonoscopia, rinoscopia): aguardar 6 meses desde o exame.

  • Extração dentária ou tratamento de canal: aguardar 7 dias desde a realização do procedimento.

  • Cirurgia odontológica com anestesia geral: aguardar 4 semanas.

  • Exposição a situações de risco acrescido para infecções sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses desde a exposição.

  • Apendicite, hérnia, amigdalectomia, varizes: aguardar 3 meses desde o desaparecimento dos sintomas.

  • Transfusão de sangue: aguardar 1 ano.

  • Vacina contra a gripe: aguardar 48 horas.

  • Herpes: aguardar o desaparecimento das lesões para herpes labial ou genital ou aguardar 6 meses desde a cura para herpes zoster.

 

Cuidados pós-doação de sangue

  • Evite esforços físicos exagerados por pelo menos 12 horas.

  • Aumente a ingestão de líquidos.

  • Não fume por cerca de 2 horas.

  • Evite bebidas alcoólicas por 12 horas.

  • Mantenha o curativo por, pelo menos, quatro horas;

  • Não dirija veículos de grande porte, não trabalhe em andaimes e não pratique paraquedismo ou mergulho.

  • Faça um pequeno lanche e hidrate-se. É importante que o doador continue se sentindo bem durante o dia em que efetuou a doação.

 

FOTOS

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Publicando o impublicável desde 2011

  • Facebook Black Round
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now