Sondagem traz além do nome do prefeito Amin Hannouche, Hermes Fonseca, Raphael Sampaio e Edimar Gomes Filho, o Edimarzinho para o pleito eleitoral procopense.

18.02.2020

 

 

 

 

Os bastidores da política local se aqueceram com os comentários sobre mais uma sondagem de consulta e consumo interno de interessados sobre quais nomes poderão disputar as eleições deste ano pelo Executivo e o Legislativo municipal. 

 

Na possibilidade da lei de findarem as coligações minoritárias os partidos terão que se fortalecer em números reduzidos de partido, prometendo grande renovação das cadeiras.

 

São comuns estas sondagens por parte de partidos, entidades, associações, empresários e claro os diretamente interessados. Enfim, tem sempre informação nova de cunho mensurável dos bastidores do exercício democrático eleitoral.

 

Deste feito, das que se recheia as ultimas e atuais discussões de bastidores, teria causando grande “borburinho” por sua composição que estariam trazendo uma releitura do quadro geral.

 

Além do atual prefeito Amin José Hannouche, eleito em 2016 com 54% dos votos válidos (14.245), que por lógica deverá ser candidato a reeleição e do vereador Raphael Sampaio, já auto declarado oposição a atual situação em diversas manifestações pessoais em seus discursos no Legislativo e junto a imprensa, alavancado na sua tentativa derrotada de candidato a deputado Estadual, onde sem legenda para deputado, apresentou no contexto de colégio eleitoral procopense 8.150, pouco menos de 32%.

 

Os outros nomes seriam do ex-prefeito Hermes Rodrigues da Fonseca Filho e do atual presidente do Legislativo Procopense, vereador Edimar Gomes Filho, o Edimarzinho.

 

Para quem acompanha política procopense pela história, conhecendo a separação das últimas décadas das nossas lideranças locais por grupo, chamando um grupo de “Fonsecas” com os irmãos Hermes e José Antonio e outro grupo de “Trevisan”, herdado e liderado pelo atual prefeito Amin Hannouche, fica evidente  que estes números que se apresentaram em 2016 para Amin e 2018 para Raphael são como um carimbo de números “meio que” oficiais entre os votos de cada grupo.

 

 

A média dita popular dos votos válidos em um universo de 29 mil votos que é o de Cornélio Procópio, segundo os anais de registro jornalístico local seria histórico polarizado em 35% para um grupo e 45% para outro. Sempre com sobra expressiva de votos válidos em abstenção e indecisos nos 20%, “sempre” preferindo não participar votando em nenhum destes grupos, buscando sempre um nome descentralizado daquele meio. Estes votos se manifestam nos votos do candidato da terra e no movimento chamado de “terceira via”,  que aproveita exatamente o percentual dos indecisos. 

 

Com tantas conjecturas possíveis e imagináveis, esta chamada de terceira via já foi testada e aprovada no pleito que elegeu o ex-prefeito Fred Alves em 2012 e que embora tenha conquistado 51,37% dos votos válidos, chegou aos 14.736, revelando uma maior participação dos chamados indecisos e abstenções. Excluindo este volume flutuante de votos, contando apenas os votos válidos, os dados históricos apontas de 8 a 10 mil votos pra um grupo e de 13 a 15 mil votos para o outro. 

 

POLARIZAÇÃO

 

Mesmo com quatro nomes fica evidente a ideia de polarização. Em sendo Raphael Sampaio, mesmo que tendo disputado as ultimas eleições para deputado, estratégia clara para marcar o terreno, pois celebra seus 10 mil votos em uma eleiçao que precisaria de no minimo 80 mil, já tinha deixado as intenções do vereador clara sua intenção a majoritária, fato que não contava com a pré disposição de Hermes ao mesmo pleito.

 

Entretanto ele é cria e coluna do grupo dos "fonsecas", um dos dois vereadores chamados de oposição, tendo ainda de fiel escudeiro e conselheiro ninguém mais que o também vereador Fernando Peppes, carinhosamente chamado de Pepsi com limão, dado analogia do refrigerante a unidade e fidelidade ideológica partidária que este mantem com o grupo dos irmãos, apelidado de "limões". 

 

Outras informações já destoam da afirmação acima, dizendo que a parceria entre os vereadores e a própria candidatura de Raphael Sampaio a deputado recentemente, seria um esforço de renovação no grupo, buscando Pepes e Sampaio um novo caminho para oposição local. Ao mesmo tempo vem Hermes Fonseca com suas pretensões e parece destoar do dito.

 

Enquanto isso e de maneira muito similar vem o vereador Edimarzinho, da mesma base que o prefeito Amin, com um diferencial de importância tendo sido um dos coordenadores da campanha do atual governador Carlos Massa Ratinho Junior. 

 

Na verdade a possibilidade de composição entre Hermes e Rafael é tão singular quanto de Amin e Edimarzinho se fazendo como provocação respondida, a altura como definição de alinhamento na mesma estratégia, o que polarizaria a disputa em Cornélio Procópio, transformando hoje quatro nomes em uma possibilidade  polarizada.

 

Outras conjecturas também nos fazem pensar, mas ficarão para analises futura.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Publicando o impublicável desde 2011

  • Facebook Black Round
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now